20 de novembro de 2017
Inicial | Destaques | Aplicador de líquido selante Stan’s Tire Sealant Injector
Foto: MTB Brasília

Aplicador de líquido selante Stan’s Tire Sealant Injector

Uma ferramenta que promete fazer da operação de aplicar líquidos selantes em pneus tubeless uma tarefa “simples, sem bagunça ou desperdício”. Será?

Um sistema de aplicação de líquido selante para pneus sem câmara que promete fazer da operação uma tarefa “simples, sem bagunça ou desperdício”. Esta é a premissa do Stan’s Tire Sealant Injector, ferramenta do fabricante Stan’s NoTubes, pioneiro no desenvolvimento de sistemas tubeless para bicicletas.

Entusiasta que sou dos sistemas tubeless, resolvi testar a nova ferramenta, curioso em saber se uma operação relativamente simples poderia ficar ainda mais fácil. 

Reposição frequente – Apesar de suas inúmeras vantagens, o uso de pneus tubeless – assim como outros componentes da bicicleta – demanda manutenção periódica. Dependendo das condições de uso, temperatura e da porosidade da borracha do pneu, entre outros fatores, o líquido selante deve ser reposto em um período que varia entre um a quatro meses.

Basicamente, a operação de instalação ou reposição do líquido selante no interior do pneu pode ser realizada de duas maneiras. A primeira – via de regra em um ambiente de oficina, já que necessita necessariamente de um compressor de ar – é feita com o pneu parcialmente desmontado, onde o líquido é despejado diretamente na carcaça do mesmo.

Instalação de líquido selante em um pneu parcialmente desmontado da roda - Foto: Park Tool
Instalação de líquido selante em um pneu parcialmente desmontado da roda – Foto: Park Tool

A segunda maneira é realizada com o pneu já completamente montado na roda, através da remoção do núcleo da válvula de ar, o que permite que o líquido selante possa ser injetado diretamente pela mesma. A grande vantagem deste método é que, além de não necessitar o uso de compressor de ar, costuma fazer menos sujeira, graças ao menor risco de derramamento do líquido.

Para injetar o selante diretamente através da válvula de ar, é necessário remover seu núcleo através de uma ferramenta apropriada, como a Park Tool VC-1 – Foto: Park Tool

Até então, meu procedimento padrão para repor o selante no pneu sem desmontá-lo da roda era retirar o núcleo da válvula (com o auxílio de uma ferramenta apropriada) e injetar diretamente o líquido com o auxílio de uma bisnaga plástica (utilizo o vasilhame reaproveitado do refil de 60ml do selante Stan’s NoTubes). Após algum período de prática, a bagunça causada pela operação tornou-se mínima. Nada que uma toalha de papel não resolvesse…

Utilizar um frasco do refil de 60ml tem sido a melhor e mais prática maneira de se repor o líquido selante. Será que o Tire Sealant Injector fará melhor? – Foto: Stan’s NoTubes

O Stan’s Tire Sealant Injector foi desenvolvido para, em tese, tornar esta segunda opção de recarga ainda mais fácil e prática. Fui conferir se a afirmação procede. Vamos aos testes!

O teste – De posse da ferramenta e de um removedor de núcleo de válvula, dei início ao procedimento de aplicação do líquido selante. Para evitar “intrigas da oposição”, utilizei apenas líquido selante da mesma marca, o NoTubes Tire Sealant e observei todas as recomendações fornecidas em seu manual, incluindo a agitação vigorosa do produto antes da aplicação.

Logo após a remoção do núcleo da válvula, constatei o primeiro problema: o conector da mangueira da seringa que atarraxa na válvula não corria livremente, dificultando sua instalação, já que a seringa teimava em girar junto com o mesmo.

Segundo problema: O êmbolo da seringa, de borracha comum, não permite uma operação suave, principalmente no início do seu curso. Isto aumenta o risco de que a seringa ‘exploda’, vazando líquido;

Terceiro e derradeiro problema: Após poucos segundos, o líquido selante entupiu a ponta da seringa. Ao forçar um pouco mais o êmbolo, o desastre inevitavelmente ocorreu. A conexão entre a seringa e a mangueira (que não possui nenhum tipo de trava, apenas encaixe) desmontou, vazando líquido e também a promessa do fabricante de “uma tarefa sem bagunça ou desperdício”!

Após o ‘desastre’, resolvi repetir a operação, não sem antes limpar meticulosamente a seringa e suas conexões e conferir se as mesmas estavam firmemente fixadas.

Embora desta vez não tenha ocorrido a desmontagem, mais uma vez o líquido vazou, tanto no encaixa entre a mangueira e a seringa, quanto no conector da válvula.

Foto: MTB Brasília

Conclusão – Fiquei bastante decepcionado com o Tire Sealant Injector, ainda mais tratando-se de uma ferramenta desenvolvida por uma marca que sempre admirei pela qualidade de seus produtos. Minha conclusão é de que se trata de um  produto pouco prático, que não cumpre sua premissa e ainda por cima caro. Comercializado ao preço médio de 65 reais – o dobro do preço de uma bisnaga de 60ml de líquido selante da mesma marca -, o Stan’s Tire Sealant Injector acaba por se tronar um produto totalmente dispensável, já que é possível aplicar o conteúdo do refil do selante diretamente na válvula, sem o auxílio do injetor.

Se ele ao menos pudesse ser utilizado sem a necessidade de se remover o núcleo da válvula e tivesse um sistema a prova de vazamentos, talvez sua compra fosse justificada. Como não é o caso, guarde seu dinheiro para algo mais útil!

Stan's Tire Sealant Injector

Facilidade de uso
Eficiência
Preço

Péssimo!

User Rating: Be the first one !

Pontos positivos

  • A seringa graduada permite medir com precisão a quantidade de líquido a ser aplicada.

Pontos negativos

  • Não dispensa o uso de ferramenta de remoção da válvula;
  • Vaza líquido, tanto na boca da seringa quanto no encaixe da válvula;
  • O adaptador de encaixa da válvula não gira com facilidade, dificultando seu uso;
  • Custa o dobro do preço de uma bisnaga de refil de 60ml de selante (que pode ser aplicada diretamente na válvula do pneu).

Sobre o autor

André Ramos é editor do website MTB Brasília
error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização